Estilhaça-me – Resenha

i2fqFbJ

Juliette não toca alguém a exatamente 264 dias. A última vez que ela o fez, que foi por acidente, foi presa por assassinato. Ninguém sabe por que o toque de Juliette é fatal. Enquanto ela não fere ninguém, ninguém realmente se importa. O mundo está ocupado demais se desmoronando para se importar com uma menina de 17 anos de idade. Doenças estão acabando com a população, a comida é difícil de encontrar, os pássaros não voam mais, e as nuvens são da cor errada. O Restabelecimento disse que seu caminho era a única maneira de consertar as coisas, então eles jogaram Juliette em uma célula. Agora muitas pessoas estão mortas, os sobreviventes estão sussurrando guerra – e o Restabelecimento mudou sua mente. Talvez Juliette é mais do que uma alma torturada de pelúcia em um corpo venenoso. Talvez ela seja exatamente o que precisamos agora. Juliette tem que fazer uma escolha: ser uma arma. Ou ser um guerreiro.

Estilhaça-me é uma daquelas sagas que não são tanto reconhecidas, mas são muito boas, assim como Starters, Delírio, Feios…

Eu não imaginei que fosse gostar tanto desse livro quanto eu gostei, quando lia as horas não passavam. É uma história simples que me prendeu.

Juliette foi presa por ter um toque letal, cada vez que ela tocava alguém a pessoa sentia dor e até morria, dependendo da duração do toque. E com isso, nossa protagonista teve uma vida sofrida, foi excluída da sociedade, e com isso pensava ser um monstro e ter uma doença.

A vida dela muda quando colocam um rapaz na mesma cela que ela, o Adam, que eu imaginava a aparência dele como sendo a do Adam Levine mais jovem, e ela percebe que já conhecia ele, ele tinha sido a única pessoa que tinha defendido ela nos tempos de colegial.

Não muito tempo depois do reencontro, Juliette é levada para um setor do Restabelecimento (Aquela grande organização do mal, digamos, que visa mudar os problemas da sociedade mas comete muitas atrocidades para cumprir seu objetivo), onde querem usá-la para torturar os rebeldes, mas ela recusa, Warner (que é o líder do setor onde ela está) começa ficar obcecado por Juliette, enquanto a mesma começa a descobrir o que é amar alguém.

Minha opinião (contém spoilers)

Adam é lindo e maravilhoso, Warner é um psicopata, e Juliette é uma personagem forte (literalmente também). No começo Juliette fica falando se depreciando, o que até um ponto foi um pouco incômodo, mas acho que foi realista pois a personagem não tinha aquela auto-estima boa, ainda mais depois de tudo o que passou.

O que eu achei interessante foi que Juliette não perdeu sua essência, ela sempre foi humilde, mesmo que pudesse se vingar das pessoas que a fizeram mal, ela não o fez. E outro ponto que eu gostei bastante foi o fato de o dom de Juliette não é algo que possamos definir especificamente no primeiro livro. Ela descobre que tem pessoas que são imunes ao seu toque e que ela possui uma força maior do que o normal.

Uma coisa que me intrigou foi: Por que o Warner é tão obcecado por Juliette? Porque ele quer que ela o ame? Foi um ponto muito instigante.

E no final, descobrimos que existem outras pessoas com dons, como poderes de cura, eletricidade, e Juliette encontra um lugar onde pode se esconder de Warner, e aprimorar seus bons para o bem. Depois de ler tantos livros em que os personagens não tinham poderes, é bom ler um livro que saia mais da realidade.

Novidade!

A autora desta saga, Tahereh Mafi, tweetou em Junho do ano passado que a ABC Signature Studios vai trazer Estilhaça-me para a TV, e que Mafi será consultora do show, mas até agora nada foi divulgado.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s